Prefeitura abre inscrições para apoio a projetos de resiliência em Salvador – R$ 150.000,00 por empresa.

Depois do lançamento do sexto eixo do Programa Salvador 360, intitulado Cidade Sustentável, a Prefeitura lançou a chamada temática Cidades Resilientes para encontrar projetos que ajudem a cidade a se tornar referência nesse quesito. As cinco melhores ideias de estratégias para enfrentar desafios, sejam climáticos, econômicos ou sociais, terão apoio de até R$ 150 mil.

A iniciativa é feita com apoio da Resources IT Solutions e as inscrições estão abertas até dia 11 de dezembro, com resultado a ser divulgado no dia 5 de janeiro de 2018. Para participar, é necessário preencher a ficha de inscrição no link http://bit.ly/Resiliente e enviar um vídeo de até dois minutos no modelo Elevator Pitch. A medida é voltada para startups, microempreendedores individuais (MEIs) e micro e pequenos empreendedores (MPEs).

Cada uma das cinco empresas escolhidas poderá receber até R$ 100 mil para desenvolver o produto, além de mais R$ 50 mil de bolsa para os integrantes. A ação é resultado da parceria entre a Secretaria da Cidade Sustentável e Inovação (Secis), o Sebrae e o Senai Cimatec.

Propostas – Os projetos enviados não precisam necessariamente ajudar a cidade a se recuperar após adversidades. Prevenção de acidentes, monitoramento de áreas de risco, sensores de alerta, mecanismos de aviso à população, entre outros temas ligados à resiliência, também poderão ser inscritos. A proposta deve ser desenvolvida utilizando técnicas inovadoras, podendo ser composta de Internet das Coisas (IOT), Big Data, Analíticos, Preditivos e processamento em nuvem.

Cidades Inteligentes – Em outubro, foi finalizada a chamada Cidades Inteligentes, que procurava por ideias que conectassem a cidade. Foram escolhidos 10 projetos, sendo sete da Bahia, um do Espírito Santo, um de Minas Gerais e outro do Rio Grande do Sul. Quase 70 grupos inscreveram propostas nas áreas de Segurança, Mobilidade, Saúde, Educação e Meio Ambiente.

Veja startups selecionadas pela Prefeitura para projetos do Salvador Cidade Inteligente

A captação de empresas do ramo da inovação, como parte do eixo Cidade Inteligente – do macroprograma Salvador 360 – começa a dar os primeiros passos, após chamada pública da Secretaria da Cidade Sustentável e Inovação (Secis). Embora desprovidas de experiência no mercado, essas empresas têm uma chance de contribuir com novas ideias para os cenários tecnológicos de Salvador e do Brasil.

Os critérios para seleção das empresas passam por itens como inovação e agilidade em resolver problemas pontuais. Para isso, é preciso que os empreendedores possuam experiência e qualificação para a iniciativa. Cada grupo de novas empresas terá o prazo de 12 meses para fazer valer a aposta, transformando suas ideias em um modelo de negócios real e que possa ser replicado e aplicado no cotidiano das cidades, tendo Salvador como seu laboratório vivo.

A iniciativa visa estreitar o diálogo com as propostas trazidas pelas dez ideias inovadoras selecionados na primeira chamada para a fase inicial do programa, ofertando um aporte financeiro de até R$ 150 mil por empresa – sendo R$ 100 mil para desenvolver o projeto e R$ 50 mil para os participantes. A Prefeitura entrou com R$ 1 milhão, e o Senai e Sebrae com R$ 2 milhões.

Além disso, há o suporte técnico, logístico e operacional da Secis e seus principais parceiros no projeto, incluindo o Banco do Nordeste do Brasil (BNB) e os órgãos municipais de Mobilidade, Gestão, Cultura e Turismo, Fazenda, Transalvador, Fundação Gregório de Matos (FGM), Companhia de Governança Eletrônica (Cogel), Desenvolvimento e Urbanismo (Sedur) e Cimatec.

Durante todo o ano de 2018, as startups serão submetidas a atividades que auxiliarão na realização de provas de conceito, onde eles irão estudar a viabilidade técnica, desenvolver o protótipo e realizar testes em ambientes relevantes.

Selecionadas – A seleção se deu a partir da inclusão no edital de Inovação do Campus Integrado de Manufatura e Tecnologia (Senai Cimatec), um dos parceiros da iniciativa, junto à Sedur, órgão que gere o Salvador 360. Aprovadas previamente, as empresas seguem em processo de avaliação de documentos apresentados, ato que precede a assinatura do contrato.

“Estamos na fase de alinhamento do plano de projeto. Portanto, não há ainda certeza de que todas as empresas participantes da primeira chamada ficarão até o final do processo, que será encerrado em janeiro. Esta etapa é muito importante, pois neste momento estamos construindo o plano em conjunto com as startups, assinando a documentação para que os projetos selecionados possam receber o investimento e participar das atividades”, explica Mariane Falcão, analista de Novos Negócios do Cimatec.

Os projetos foram selecionados a partir de 70 empresas inscritas na Chamada Temática Cidades Inteligentes, lançada pela Prefeitura em parceria com Senai. Das dez empresas selecionadas, sete são baianas, uma capixaba (ES), uma mineira, e outra gaúcha. Neste primeiro momento, estão previamente selecionadas as startups Smart Governant, Passaporte Salvador, Recicla, Estacionamento Rotativo, Smart Traffic Light, Mapa Médico, Mosquito Zero, Tempus RW3, REP e Mini Maker.

Atribuições – O objetivo do eixo Cidade Inteligente é desenvolver projetos e ações que inserem a inovação na política pública de Salvador, promovendo o desenvolvimento econômico com base em empresas e soluções voltadas a inovação e tecnologia. Dentre as ações voltadas para startups no âmbito do programa estão: Co-working público para startups e empreendedorismo social (Secis); Editais de fomento e incentivo às soluções tecnológicas criadas por startups (Secis); Calendário anual de eventos de inovação (Secis); Hub Tecnologia (Sedur); Atração de fundo de R$ 100 milhões para investimento multi-estágios em startups (de pre-seed a venture capital) (Sedur); Desenvolvimento e atração de linhas de crédito voltadas às necessidades de startups (Sedur).

“As startups na Bahia não tinha praticamente nenhum apoio do poder público, a maioria das startups pensavam em sair da Salvador e migrar para São Paulo. Agora estamos revertendo esse pensamento e acreditamos que podemos ir além, transformando Salvador em uma cidade atrativa para empreendimentos de fora”, disse Ivan Paiva, diretor de Inovação da Secis.

 

Fonte: http://comunicacao.salvador.ba.gov.br/index.php/todas-as-noticias/51067-prefeitura-e-parceiros-iniciam-selecao-de-startups-para-projetos-do-salvador-cidade-inteligente

Curso Direito das Startups

Carga horária: 32h (8 encontros)

Período: 15 a 24/01/2018

Horários: 2ª a 6ª feira, das 18h às 22h

Docente: Marcus Seixas e Leonardo Susart

Investimento: R$ 550,00 (2x no cheque ou cartão)

Inscrição: Através do site da Baiana ou no financeiro da Faculdade até dia 16/01/2018

O curso

As startups empreendem de forma inovadora e disruptiva formatando modelos de negócios próprios e buscando soluções empresariais diferentes daquelas estabelecidas no mercado. Justamente por isso, elas têm crescido em quantidade e qualidade mesmo em um contexto de crise econômica no Brasil. A inovação e a ousadia das startups são muito importantes para o mundo empresarial, e justamente por isso esses negócios devem ser desenvolvidos com estabilidade, transmitindo segurança no modelo proposto para o público externo.

Naturalmente, as startups, por sua própria natureza, esbarram em problemas regulatórios relacionados à normatização de seus desenvolvimentos tecnológicos; precisam adotar estruturas societárias que lidem com as peculiaridades do seu modelo de gestão de capital social marcado pelas rodadas de investimento; ou precisam se utilizar de documentos contratuais extremamente incomuns e pouco familiares ao tráfego empresarial para normatizar suas relações comerciais com outras empresas ou até mesmo com os seus clientes; inúmeros são os contextos em que as startupsprecisam de conhecimentos jurídicos especializados e voltados às suas necessidades especiais, bastante diferentes daquelas dos “negócios tradicionais”.

Essas e outras questões essencialmente relacionadas à realidade das startups motiva o estudo jurídico dos problemas, das oportunidades e das tendências de mercado das startups, constituindo, assim, um conjunto de conhecimentos que permite ao operador do direito conhecer o ciclo de vida de uma startup e os variados conjuntos de normas jurídicas que as regulamentam.

Marcus Seixas: Advogado. Professor da Faculdade Baiana de Direito. Doutorando e Mestre em Direito Processual Civil pela UFBA. Pós-graduado (especialização) em Direito Tributário pela UFBA. Membro da Associação de Jovens Empreendedores da Bahia (AJE/BA). Membro da Associação de Jovens Empreendedores da Bahia (AJE/BA). Mentor das startups incubadas na ACELERA CIMATEC, na área de Direito com foco em desenvolvimento de startups, mentor de startups na Incubadora do SENAI CIMATEC, no INOVATIVA 2017 e na Campus Party Bahia 2017. Professor do MBA em Empreendedorismo e Inovação Tecnológica organizado pelo SENAI – BAHIA.

Leonardo Susart: Advogado. Professor da UNIFACS e Faculdade Ruy Barbosa. Mestre em Ciências Jurídico-Empresariais pela Universidade de Coimbra. Pós-graduado (especialização) em Direitos Humanos pela Universidade de Coimbra. Membro da Associação de Jovens Empreendedores da Bahia (AJE/BA). Mentor das startupsincubadas na ACELERA CIMATEC, na área de Direito com foco em desenvolvimento de startups, mentor de startups na Incubadora do SENAI CIMATEC, no INOVATIVA 2017 e na Campus Party Bahia 2017. Professor do MBA em Empreendedorismo e Inovação Tecnológica organizado pelo SENAI – BAHIA.

Público-alvo

Empreendedores, startuppers, advogados e estudantes de Direito.

Veja mais aqui:

http://www.faculdadebaianadedireito.com.br/portal/cursos/direito-das-startups/

Inscrições abertas para o Campus Mobile 2017 – até 15/11/2017

concurso de aplicativos Campus Mobile é uma parceria entre o Instituto NET Claro Embratel e o LSI-TEC, com o apoio da Escola Politécnica da USP, que tem o objetivo de reunir estudantes de diferentes áreas e contribuir para sua formação durante o processo de desenvolvimento de serviços que contribuam de forma positiva ao contexto social.

Serão selecionados até 120 jovens para concorrerem a uma viagem de imersão aos EUA e prêmios em dinheiro, que serão entregues aos projetos que apresentarem melhor desempenho durante o programa. Podem participar universitários e recém formados, em equipes de até 3 pessoas. Os estudantes podem inscrever seu projeto em uma das três categorias do programa:Facilidades, Educação ou Jogos. O projeto inscrito deve consistir em um produto ou serviço para plataforma móvel.

Para se inscrever, acesse o www.campusmobile.com.br

Mais informações: contato@campusmobile.com.br

Meia Maratona de Design Estratégico Clara Idéia

Deixe a inteligência coletiva acelerar seu negócio!

Você está convocado a participar da MEIA MARATONA DE DESIGN ESTRATÉGICO CLARA IDEA: um jogo colaborativo de inovação orientado pelo Design Thinking.

Seja uma das 30 empresas que enfrentarão o desafio de conceber um novo produto – bem ou serviço – ou uma versão muito melhorada de um produto já no mercado, a partir da interação com consumidores muito exigentes.

Monte já sua equipe, reunindo 3 a 5 pessoas bem diferentes. As equipes poderão ser formadas exclusivamente por colaboradores da empresa ou contar com a participação de atores externos – clientes, fornecedores ou parceiros estratégicos. O importante é garantir a DIVERSIDADE!

Também é possível realizar uma inscrição avulsa e se incorporar a uma equipe no dia do evento.

Mas são poucas vagas: reserve já a sua. 

 

PITCH DAY COM MICHAEL MEIRELES (ABASTARTUPS E STARTUP BA)

Conteúdo:

O evento inicia pontualmente às 17:00 com o Michael Meireles (investidor anjo e mentor) falando o que um investidor quer ver no seu pitch. A apresentação vai indicar os detalhes que fazem a diferença no sucesso de um pitch de startup. Além da apresentação de Michael Meireles, voce poderá conferir 3 pitchs de startups baianas que vão representar a Bahia na Conferência Anual de Startups e Empreendedorismo – CASE 2017. Após a avaliação dos pitchs, teremos um bate-papo com Thomas Buck (investidor anjo baiano) que vai falar um pouco sobre a evolução do investimento anjo em nosso Estado.

Programação:

  • 17h00 – Pitch de Sucesso com Michael Meireles
  • 18h30 – Pitch de 3 startups baianas
  • 19h00 – Bate-papo sobre investimento com Thomas Buck
  • 21h00 – Encerramento
  • Carga Horária:4 horas

Local:Espaço SEBRAE – Piso L2 – Shopping Bela Vista – ALAMEDA EUVALDO LUZ, 82 / Shopping Bela Vista, L2, HORTO BELA VISTA – SALVADOR/BA

Período(s): 18/10/17 – 17:00 as 21:00 [Espaço SEBRAE – Piso L2 – Shopping Bela Vista]

Inscrições Aqui

Chamada Cidade Inteligente – PMS e COGEL – R$ 150.000,00 – até 10/10!

 

Prefeitura de Salvador, junto com a Companhia de Governança Eletrônica de Salvador (COGEL), busca novas ideias para tornar a infraestrutura e os serviços de uma cidade mais inteligentes, interligados e eficientes, melhorando a qualidade de vida dos cidadãos.

Alinhada com o programa municipal Salvador 360, que visa ao crescimento econômico e social de Salvador, esta chamada do Edital de Inovação para a Indústria tem como tema Cidade Inteligente.

Tem R$ 150.000,00 por edital aprovado. Saiba mais aqui.

MCTIC lança nova etapa do Start-Up Brasil com edital de R$ 9,7 milhões

 

Serão selecionados até 50 projetos de empresas nascentes de base tecnológica. Desde 2012, iniciativa do governo federal já apoiou 183 startups com R$ 34,7 milhões em investimentos.

O Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) lançou nesta quinta-feira (10) nova etapa do Programa Start-Up Brasil com um edital para selecionar a turma 5 da iniciativa, com R$ 9,7 milhões destinados a 50 projetos a serem acelerados em 2017 e 2018. Cada empresa nascente de base tecnológica vai receber até R$ 200 mil. Os recursos são do orçamento do MCTIC.

Participaram do anúncio o ministro Gilberto Kassab, o secretário de Política de Informática do MCTIC, Maximiliano Martinhão, e o presidente do CNPq, Mario Neto Borges.

As 50 startups selecionadas deverão se associar às aceleradoras qualificadas pelo Programa.

O Start-Up Brasil já executou dois ciclos de aceleração, de 2013 a 2015, quando houve apoio a 183 startups, distribuídas por quatro turmas e oriundas de 17 estados e 13 países. Até o momento, o MCTIC aportou R$ 34,7 milhões a projetos de pesquisa, desenvolvimento e inovação (PD&I) de startups de tecnologia da informação (TI). A iniciativa alavancou aproximadamente R$ 103 milhões em investimentos privados e gerou mais de 1.200 empregos diretos.

Ao todo, 2.855 propostas se submeteram ao Programa. O apoio contemplou startups de diversos segmentos da economia, como educação, saúde, agronegócio, biotecnologia, varejo e logística. O Start-Up Brasil promoveu integração entre empreendedores de todo o território nacional, com destaque à presença de empresas e aceleradoras das regiões Norte e Nordeste, que, a partir do segundo ciclo, ganharam espaço no ecossistema empreendedor.

Criado pelo MCTIC em novembro de 2012, o Start-Up Brasil agrega um conjunto de atores em favor do empreendedorismo de base tecnológica. O Programa do governo federal tem como objetivos apoiar projetos de PD&I de startups de TI e contribuir para o desenvolvimento do ecossistema. A iniciativa cria, ainda, momentos de interação por meio das redes sociais e de uma série de eventos como o Welcome Aboard, encontro de boas-vindas às novas turmas, e as feiras conhecidas Demo Days, para exposição das startups que estão em busca de investimentos para alavancagem dos negócios.

Mais informações em: http://www.startupbrasil.org.br/