Startups e Governo se reúnem para fortalecer a inovação tecnológica da Bahia

Secti realiza oficina para construção participativa do Startup Bahia como política pública do Governo do estado.
 

O ecossistema de startups tem encontro marcado com o Governo da Bahia para construção participativa das diretrizes do programa estadual  ‘Startup Bahia’, que vai integrar as ações de fortalecimento da inovação tecnológica do estado. A iniciativa da Secretaria da Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti) vai reunir empresas, aceleradoras, indústrias, associações, universidades, institutos, investidores e outras secretarias nesta quinta-feira (14), às 14h, no auditório do Parque Tecnológico Bahia, o Tecnocentro Bautista Vidal.

A oficina vai integrar os representantes das startups baianas, além da Associação Baiana de Startups (Abas) e hubs de empreendedorismo espalhados por todo o estado. De acordo com o assessor de Relações Institucionais da Secti, Sócrates Santana, a participação das empresas e dos demais agentes deste ecossistema será a chave para construção de uma política pública de sucesso, colocando a Bahia no centro deste debate fundamental para o desenvolvimento no contexto atual.

Os participantes serão organizados em grupos com sete eixos temáticos: talento; capital e fomento; densidade; regulação; cultura; acesso ao mercado e relações internacionais; e impacto social e diversidade. Na oportunidade, os representantes de cada empresa ou instituição vão apontar uma agenda mínima de compromissos com o Governo da Bahia, de curto, médio e longo prazos, tendo como contrapartida as políticas de fomento, articulação e comunicação do estado.

Para o chefe de Gabinete da Secti, Rodrigo Hita, do ponto de vista estratégico, esta iniciativa vai fortalecer a narrativa do governo estadual, no campo da inovação, como força motriz para o desenvolvimento das políticas públicas de fomento aos empreendimentos tecnológicos. “Não há dúvida de que a construção de uma política pública com os atores do ecossistema de inovação da Bahia será um marco para toda a sociedade baiana”, destaca.

Startup Bahia

O programa de empreendedorismo e inovação ‘Startup Bahia’ é uma nova política pública do Governo do Estado que tem a proposta de integrar as ações das diversas secretarias e órgãos envolvidos com esta temática, de forma a garantir efetividade na gestão dos recursos e potencializar e fortalecer o ecossistema baiano de inovação tecnológica. Além da Secti e da Companhia de Processamento de Dados do Estado da Bahia (Prodeb), a nova agenda integra as Secretarias da Educação (SEC), do Planejamento (Seplan), de Comunicação Social (Secom), do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (Setre), Casa Civil, da Administração (Saeb), de Desenvolvimento Econômico (SDE) e de Cultura (Secult).

Guia de Serviços Áity

Em comemoração aos cinco anos de criação do Tecnocentro Bautista Vidal, a Secti lança oficialmente, durante a oficina, a edição especial de aniversário do Guia de Serviços das Startups do Parque Tecnológico da Bahia. O Guia, elaborado pela Assessoria de Comunicação da Secti, tem como objetivo dar visibilidade aos produtos e serviços desenvolvidos com o apoio da Áity Incubadora de Empresas. Nestes cinco anos, o Parque Tecnológico da Bahia se estabeleceu como o centro de convergência dos atores que compõem o sistema estadual de CT&I, congregando os principais agentes dinamizadores voltados à geração de ideias e soluções criativas. O material também está disponível para distribuição virtual, através do site institucional (secti.ba.gov.br) ou no Issuu (issuu.com/sectibahia)

All Saints Bay: Salvador ganha Ecossistema de Startups, empreendedorismo e inovação

Uma comunidade com foco em desenvolver ecossistema inovador e fomentar o empreendedorismo em Salvador a partir da colaboração. Essa será a principal missão da All Saints Bay (Baía de todos os Santos), lançada oficialmente na noite de terça-feira (12), na capital baiana, após um processo democrático de escolha da identidade, durante o mês de novembro e início de dezembro.

O evento contou com a participação de empreendedores, de entidades como Sebrae, SENAI/CIMATEC, da Universidade representada pelo LABPROJ da UFBA e pela prefeitura de Salvador, por meio da Diretoria de Inovação. Além de players de outras partes do Brasil que enviaram mensagem saudando o All Saints Bay, como Edson Mackeenzy que ganhou prêmio de melhor mentor do Ano no Startup Awards, Pedro Menezes um dos fundadores do Órbi e empreendedor da comunidade San Pedro Valley, de Belo Horizonte, e a equipe da CUBO Itaú de São Paulo.

O movimento que cunhou na All Saints Bay se deu no início deste ano, através da Associação Baiana de Startups. Segundo o presidente da Abas, Eduardo Lobo, a criação da identidade foi um desejo coletivo. “Demos um passo importante que foi a consolidação da identidade do ecossistema, o que já era um anseio de toda a comunidade de empreendedorismo e Startups”, comemorou.

Atualmente a comunidade de Salvador conta com a participação de cerca de 80 Startups. Eduardo destaca que o próximo passo, após a criação da identidade, é aumentar ainda mais esse fomento. “Vamos buscar mais parcerias estratégicas com outros atores e agentes de outros ecossistemas, para que possamos apoiar cada vez mais Startups e empreendedores. A ideia é criar aqui em Salvador um grande polo de desenvolvimento em inovação, empreendedorismo e Startups. Uma força motriz do crescimento econômico da nossa capital e de todo o Estado”, explicou.

Um dos maiores desafios da All Saints Bay é a colaboração. José Soares, gestor do projeto de Startup Bahia do Sebrae, explica que o nome é muito importante, mas se os empreendedores não se sentirem representados e não colaborarem em prol do ecossistema, de nada vai adiantar. “Um dos pilares mais significativos do ecossistema de Startups é promover conexões. Criar uma identidade é um ponta pé inicial para aglutinar mais pessoas que se identificam com o ambiente voltado para o negócio. Porém, o mais importante é esperar que em 2018 a gente consiga estar mais aglutinado e colaborando dentro do ecossistema”.

Mais do que apenas trocar e espalhar a ideia, os participantes querem principalmente o apoio de empresas, órgãos e instituições de fomento. O Diretor de Inovação de Salvador, Ivan Neves, afirma que a prefeitura está de olho no ecossistema. “Estamos aos poucos descobrindo esse ambiente e de que forma a prefeitura pode apoiar os empreendedores. É muito importante a união de todos os atores para o sucesso dessa comunidade”.

Quem sabe bem a importância de se conectar é o empreendedor Marcus Penalber, CEO da Startup Sivirinos. Ele lembra que desde que entrou na Abas, por exemplo, o seu negócio deu um salto. “Minha Startup cresceu bastante, comecei a ter contatos com outras pessoas que eu nem sabia que existiam e que agregaram muito. Fiz parcerias, contatos e consegui até investidores. As pessoas precisam ter em mente que juntos somos mais fortes. E o All Saints Bay chega com esse propósito”.

Paulo Pietrobon, Coordenador do Laboratório de Projetos Institucionais (LABPROJ) da UFBA, aponta que a identidade é apenas um empurrão para uma trajetória muito maior que estar por vir. “O caminho do ecossistema no sentido de amadurecimento de consolidação, de cumprimento da função e da missão dele, que na verdade é gerar dinamismo de empreendedorismo e inovação, é um caminho ainda por fazer”. Ele lembra ainda o papal da Associação dentro deste processo. “A Abas tem uma responsabilidade muito grande de liderar, articular e convergir todas as instituições, estudantes, professores, pesquisadores. Ou seja, todos preocupados em promover o desenvolvimento através de empreendedorismo e inovação”, finalizou.

Para que o novo ecossistema alcance o nível de comunidades já consolidadas como a San Pedro Valey de Belo Horizonte, Porto Digital de Recife, Ilha do Silício de Floripa, e 011 de São Paulo, é essencial a participação de todos envolvidos. “O ecossistema deve ser extremamente colaborativo e aberto, qualquer pessoa que queira ajudar e colaborar pode e deve participar do ecossistema. Ele está aí para abraçar, ajudar, apoiar inserir e integrar qualquer pessoa que esteja disposta a colaborar, contribuir, ajudar e ser ajudado”, reiterou o presidente da Abas.

O PROCESSO

Mercado Agri vence hackathon como melhor solução para comércio da Agricultura Familiar

IMG_9273

 

Equipe composta por estudantes da Uneb idealizou a proposta vencedora do Hackathon Desafios Bahia: Agricultura Familiar

Após 30 horas de programação, a proposta ‘Mercado Agri’, da equipe composta por estudantes da Universidade Estadual da Bahia (Uneb), foi escolhida a melhor solução tecnológica e digital para a comercialização dos produtos provenientes da Agricultura Familiar. A edição inédita do Hackathon Desafios Bahia selecionou uma plataforma mobile de intermediação de produtos entre cooperativas e grandes varejistas.

A maratona de programação aconteceu desde às 14h desta sexta-feira (1), até às 20h deste sábado (2), com a premiação dos três melhores projetos, na VIII Feira Baiana de Agricultura Familiar, Economia Solidária e Reforma Agrária, no Parque de Exposições de Salvador.

As secretarias da Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti) e de Desenvolvimento Rural (SDR), em conjunto com a comissão julgadora, ainda selecionaram a plataforma mobile ‘Da Terra’, proposta pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb – Jequié), como segunda colocada, e a ‘Safcom’, da Universidade Federal da Bahia (Ufba), classificada em terceiro lugar.

Para Ícaro Leite, estudante da Uneb e integrante da equipe vencedora do Hackathon Desafios Bahia: Trabalho, realizado durante a Campus Party Bahia (CPBA), o tema proposto foi muito desafiador. “É um tema que a gente não vivencia no nosso cotidiano, mas conseguimos absorver as informações necessárias através das mentorias e conversas com agricultores presentes aqui na Febafes”, informou o vencedor da segunda Hackhaton, lembrando que o desafio proposto também é uma causa nobre, pois tem o poder de viabilizar e potencializar a comercialização da produção dos agricultores familiares para toda a população.

Os projetos foram julgados através de critérios de interesse público, impacto social, viabilidade técnica, de negócio, e grau de inovação da ideia. A proposta é que, depois da maratona de tecnologia e inovação, as equipes vencedoras deem continuidade aos projetos para atenderem, de fato, às necessidades de comercialização dos produtos da agricultura familiar.

“Os projetos vencedores vão ajudar a desenvolver, com mais direcionamento, eficiência e eficácia, soluções de venda e no escoamento da produção de agricultores familiares em nosso estado. Buscamos fortalecer e potencializar, através do desenvolvimento de novas tecnologias, o entrosamento entre as diversas áreas do desenvolvimento rural”, afirmou Leonardo Ramacciotti, diretor da Secti, que representou o secretário Vivaldo Mendonça.

A União das Cooperativas da Agricultura Familiar e Economia Solidário do Estado da Bahia (Unicafes) viabilizou a premiação das equipes em R$5, R$3 e R$2 mil reais para o primeiro, segundo e terceiro colocados, respectivamente. Esta edição do Hackathon contou ainda com a correalização da startup baiana Startonapp e apoio da Pastar e Rede+.

Desafios e expectativas

A expectativa entre os participantes foi grande. Para Ed Costa, componente da equipe formada por estudantes da Universidade Salvador (Unifacs), o mais difícil foi estreitar o problema que é muito complexo, filtrar o mais importante para este momento. “A nossa proposta pode ter vários desdobramentos que, posteriormente, vão poder abraçar completamente o problema da comercialização dos produtos provenientes da agricultura familiar”, completou, ressaltando que vai aperfeiçoar a plataforma e não vai desistir do projeto.

A equipe da Uesb de Jequié, participante da primeira maratona tecnológica, sofreu mesmo com o esgotamento físico e mental, agravado pelo desgaste da viagem até Salvador. Já a equipe do Senai Cimatec foi eliminada na noite da sexta-feira (01), diante da etapa prevista de eliminação.

Como iremos nos chamar? vote até 11/12.

Fala pessoal!!

Chegamos a última etapa do processo de escolha da identidade da nossa comunidade de empreendedorismo e inovação ???????? Contamos com a sua colaboração para votar em um dos 05 nomes finalistas acessando o link abaixo:

https://goo.gl/forms/qH6s87VReB1kZaJj2

No dia 12/12 será anunciado o nome mais votado que dará a identidade para o Ecossistema.????????????????

Google abre a 3 turma do programa de residencia no Google Campus (acaba 8 de dezembro!)

 

Faça parte da família de startups residentes do Campus!

O Campus São Paulo é um espaço do Google para empreendedores se conectarem, trabalharem e criarem empresas que vão mudar o Brasil e o mundo. Somos uma comunidade que apoia os empreendedores e os ajuda a desenvolverem suas startups, através de espaço, conteúdo e programas, incluindo o nosso Programa de Residência.

No Programa de Residência, as startups selecionadas têm acesso ao melhor dos recursos do Google, como acesso prioritário à nossa rede de experts, oportunidades para participar em programas globais de imersão, eventos e conteúdos exclusivos, além de seis meses de espaço de trabalho nos andares de coworking para residentes do Campus São Paulo. Tudo isso sem custo – o que pedimos em troca é que se envolvam e compartilhem seu conhecimento com o ecossistema de startups, contribuindo para fortalecer a cultura empreendedora do país.

Olha quem já passou por lá Cuponeria, EasyCredito, IDWall, SciCrop, Trakto entre outras.

CRITÉRIOS

Estamos procurando startups que:

  • Estejam solucionando um problema relevante, com alto potencial de escala e impacto;
  • Desenvolvam tecnologias únicas ou apresentem modelos de negócio disruptivos;
  • Sejam compostas por um time diverso com no mínimo 3 e no máximo 20 pessoas (há flexibilidade em caso de times remotos);
  • Apresentem tração comprovada e estejam em estágio de crescimento;
  • Estejam baseadas no Brasil e demais países da América Latina;
  • Contribuam e se engajem no fortalecimento da comunidade do Campus e do ecossistema empreendedor.

Temos especial interesse em soluções que utilizem machine learning, inteligência artificial, soluções mobile, tecnologias para mercados emergentes, cidades inteligentes e cybersecurity.

INSCRIÇÕES

As inscrições serão avaliadas com base nos critérios de seleção mencionados abaixo pelo time do Campus São Paulo, além de um comitê formado por experts, empreendedores experientes e investidores. Inscreva-se aqui.

https://gfepublic.secure.force.com/events?id=a16f1000002WnkT&lang=PT

 

Secti realiza hackathon sobre agricultura familiar na Fenagro

 

 

As secretarias da Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti) e de Desenvolvimento Rural (SDR) levam para a 30ª Feira Internacional da Agropecuária (Fenagro) a edição inédita do ‘Hackathon Desafios Bahia’, no Parque de Exposições de Salvador. Entre os dias 1º e 2 de dezembro, na programação da VIII Feira Baiana de Agricultura Familiar, a maratona de tecnologia e inovação vai reunir estudantes e jovens de toda a Bahia com um único objetivo: criar soluções inovadoras por meio de tecnologias digitais voltadas para a agricultura familiar.

Os participantes terão 30 horas para solucionar uma problemática, ajudando na qualificação de políticas públicas executadas pelo Governo do Estado, por meio de uma parceria entre as pastas. O secretário da Secti, Vivaldo Mendonça, espera que as soluções tecnológicas propostas pelas duas agendas atendam uma demanda real da sociedade.

“A Secti está interligada com todas as áreas de atuação, e os resultados sinérgicos dessa integração com a agricultura familiar atendem uma ação prioritária de Governo do Estado, que sempre busca soluções sustentáveis e renováveis em beneficio da sociedade”, afirma Vivaldo.

Os times já foram formados com estudantes de universidades de pesquisa referências no estado: Universidade do Estado da Bahia (Uneb), Universidade Federal da Bahia (Ufba), Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia (Ifba), Universidade Salvador (Unifacs), Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb) e Senai Cimatec.

Segundo o coordenador estadual do Programa Hackathon Desafios Bahia, Sócrates Santana, o governo baiano está conectado com os novos desafios da sociedade e a realização das maratonas de programação faz parte da estratégia do Estado de interagir e reunir áreas do conhecimento e da economia em busca de soluções alternativas para diversos problemas.

O ‘Hackathon Desafios Bahia: Agricultura Familiar’ é uma iniciativa da Secti, tendo como correalizadoras a SDR e a startup baiana Startonapp, encerrando um ciclo de quatro edições em 2017 direcionadas para as áreas de políticas para as mulheres, trabalho, mobilidade e, esta última, a agricultura familiar.

FINEP tem até 1 milhão para investir na sua Startup

 

O Programa Finep Startup tem por objetivo apoiar a inovação em empresas nascentes intensivas em conhecimento através do aporte de recursos financeiros para execução de seus planos de crescimento.

O foco do Programa é cobrir o gap de apoio e financiamento existente entre o aporte feito por programas de aceleração, investidores-anjo e ferramentas de financiamento coletivo (crowdfunding) e o aporte feito por Fundos de Seed Money e Venture Capital.

Público-alvo

Empresas de base tecnológica que atendam às seguintes condições:

  •  Empresa inovadora cujo produto, processo ou serviço, objeto principal da captação de recursos, esteja no mínimo na fase de protótipo ou testes, preferencialmente já tendo sido realizadas as primeiras vendas;
  •  Apresentem, no ano do lançamento do Edital, receita bruta de até R$ 3,6 milhões;
  •  Tenham sido registradas na Junta Comercial no mínimo seis meses antes do lançamento do Edital; e
  •  Sejam atuantes nas áreas temáticas previstas no Edital.

Inscreva-se: http://finep.gov.br/finepstartup

 

StartOut Brasil – Internacionalize sua Startup

 

O StartOut Brasil é um programa de apoio à inserção de startups brasileiras nos mais promissores ecossistemas de inovação do mundo.

Até 15 startups com potencial de internacionalização serão selecionadas, por ciclo de imersão, e terão acesso, gratuitamente, às seguintes atividades:

  • Consultoria especializada em internacionalização, mentoria com especialistas no mercado de destino e treinamento de pitch;
  • Participação em missão com agenda voltada à prospecção de clientes e investidores e à conexão a ambientes de inovação, com visitas a aceleradoras, incubadoras e empresas locais; seminário de oportunidades; rodada de reuniões com prestadores de serviços; encontros organizados por matchmaker e demo day para investidores;
  • Apoio pós-missão para definição da sua estratégia de internacionalização e/ou softlanding no mercado-alvo.

Inscreva-se: https://www.startoutbrasil.com.br/sobre/

100 Startups to Watch (Editora Globo)

 

O 100 Startups to Watch, realizado pela Consultoria EloGroup e o Grupo de Mídia Editora Globo, tem por objetivo selecionar as startups com maior potencial de inovação e crescimento no ano de 2018. O 100 Startups to Watch é aberto para inscrição de qualquer startup, não havendo preferência de setor ou tecnologia utilizada, com abertura para os diversos estágios de maturidade.

Microsoft abre inscrições para a Imagine Cup 2018

As inscrições para a Imagine Cup 2018, competição mundial de tecnologia que transforma projetos acadêmicos em startups, estão abertas para estudantes brasileiros e de todo o mundo. Chegando à sua 16ª edição, a iniciativa tem como objetivo dar aos jovens empreendedores a oportunidade de adquirir novas habilidades técnicas e de negócios por meio de projetos inovadores. O prazo para inscrição dos projetos termina no dia 10 de abril.

Este ano, o valor total do prêmio em viagens e créditos de nuvem é de mais de US$ 700 mil dólares. Foram adicionados três prêmios especiais, de US$ 15 mil dólares cada, para competições específicas em categorias que representam o que há de mais avançado em transformação digital: Inteligência Artificial (APIs, bots e serviços cognitivos), Big Data (ferramentas de análise de dados) e Realidade Mista (funcionalidades do Windows e do HoloLens).

As duas melhores equipes serão premiadas em dólares e créditos de Azure. A grande vencedora da competição receberá orientação do indiano Satya Nadella, CEO da Microsoft,para fazer perguntas e obter aconselhamento.

Para entrar no jogo, as equipes devem produzir um vídeo de até dez minutos contendo um pitch que fale da solução e como a computação em nuvem pode ajudar. Também devem submeter uma breve descrição do projeto e um protótipo executável. O conteúdo será revisado por uma equipe de juízes que utilizará critérios descritos nas regras oficiais.

A iniciativa da Microsoft tem o intuito de conectar estudantes de todo o mundo e fornecer a eles ferramentas, recursos e experiências que transformem ideias inovadoras em realidade. “A Imagine Cup recebe projetos com um enorme potencial de negócios, ideias inovadoras que respondem a demandas concretas. A Microsoft acredita que o empreendedorismo é uma mola propulsora do desenvolvimento do país e por isso é uma prioridade para nós”, afirma Rodrigo Dias, Gerente de Programas Acadêmicos e Startups  daMicrosoft Brasil.

Projetos do Brasil e da América Latina vão concorrer com outros do mundo inteiro por uma vaga na final mundial, uma viagem internacional com todos os custos pagos. No total, são 53 times concorrendo nessa fase. A final da competição será realizada em Seattle no mês de julho.

Mais de 200 mil brasileiros já participaram do campeonato e 9 equipes nacionais foram campeãs desde a primeira edição da Imagine Cup, há 16 anos. Em 2015, a equipe brasileira eFitFashion foi a grande premiada com um projeto que está revolucionando o mercado de moda on-line e teve a oportunidade de ser orientada por Satya Nadella. A expectativa da Microsoft para este ano é que os jovens brasileiros surpreendam novamente com sua criatividade e capacidade de inovação.

Inscreva-se: https://imagine.microsoft.com/en-us/Compete