Governo constrói programa de apoio a startups baianas

Uma política pública voltada para a área de inovação e que vai apoiar startups de toda a Bahia desde o seu nascimento até a consolidação no mercado. Essa é a proposta do programa estadual Startup Bahia, iniciativa do Governo do Estado, através da Secretaria da Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti). O encontro para construir de forma participativa as diretrizes do programa reuniu, no Parque Tecnológico, representantes de empresas, aceleradoras, indústrias, associações, universidades, institutos, além de investidores e poder público.

Presente na abertura do evento, o secretário da Secti, Vivaldo Mendonça, comemorou a adesão dos atores do ecossistema para a construção participativa desta importante política de governo. “O ‘Startup Bahia’ veio para organizar as ações e iniciativas de governo na busca por estabelecer um diálogo aberto com startups do estado da Bahia, organizando uma agenda de governo para o próximo período. É a consolidação de uma política pública capaz de impulsionar este segmento em todo o estado”, disse.

Na oportunidade, os representantes de cada empresa ou instituição apontaram uma agenda mínima de compromissos com o Governo da Bahia, de curto, médio e longo prazos, tendo como contrapartida as políticas de fomento, articulação e comunicação do estado. Também estiveram presentes na oficina o presidente da Associação para Promoção da Excelência do Software Brasileiro (Softex), Ruben Delgado, o presidente da Associação Baiana de Startups (Abas), Eduardo Fiúza, e o diretor-geral da Fundação de Amparo à Pesquisa da Bahia (Fapesb), Lázaro Cunha.

Para o chefe de Gabinete da Secti, Rodrigo Hita, do ponto de vista estratégico, esta iniciativa vai fortalecer a narrativa do governo estadual, no campo da inovação, como força motriz para o desenvolvimento das políticas públicas de fomento aos empreendimentos tecnológicos. “Não há dúvida de que a construção de uma política pública com os atores do ecossistema de inovação da Bahia será um marco para toda a sociedade baiana”, destaca.

Startup Bahia

O programa de empreendedorismo e inovação ‘Startup Bahia’ é uma nova política pública do Governo do Estado que tem a proposta de integrar as ações das diversas secretarias e órgãos envolvidos com esta temática, de forma a garantir efetividade na gestão dos recursos e potencializar e fortalecer o ecossistema baiano de inovação tecnológica. Além da Secti e da Companhia de Processamento de Dados do Estado da Bahia (Prodeb), a nova agenda integra as Secretarias da Educação (SEC), do Planejamento (Seplan), de Comunicação Social (Secom), do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (Setre), Casa Civil, da Administração (Saeb), de Desenvolvimento Econômico (SDE) e de Cultura (Secult).

Startups e Governo se reúnem para fortalecer a inovação tecnológica da Bahia

Secti realiza oficina para construção participativa do Startup Bahia como política pública do Governo do estado.
 

O ecossistema de startups tem encontro marcado com o Governo da Bahia para construção participativa das diretrizes do programa estadual  ‘Startup Bahia’, que vai integrar as ações de fortalecimento da inovação tecnológica do estado. A iniciativa da Secretaria da Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti) vai reunir empresas, aceleradoras, indústrias, associações, universidades, institutos, investidores e outras secretarias nesta quinta-feira (14), às 14h, no auditório do Parque Tecnológico Bahia, o Tecnocentro Bautista Vidal.

A oficina vai integrar os representantes das startups baianas, além da Associação Baiana de Startups (Abas) e hubs de empreendedorismo espalhados por todo o estado. De acordo com o assessor de Relações Institucionais da Secti, Sócrates Santana, a participação das empresas e dos demais agentes deste ecossistema será a chave para construção de uma política pública de sucesso, colocando a Bahia no centro deste debate fundamental para o desenvolvimento no contexto atual.

Os participantes serão organizados em grupos com sete eixos temáticos: talento; capital e fomento; densidade; regulação; cultura; acesso ao mercado e relações internacionais; e impacto social e diversidade. Na oportunidade, os representantes de cada empresa ou instituição vão apontar uma agenda mínima de compromissos com o Governo da Bahia, de curto, médio e longo prazos, tendo como contrapartida as políticas de fomento, articulação e comunicação do estado.

Para o chefe de Gabinete da Secti, Rodrigo Hita, do ponto de vista estratégico, esta iniciativa vai fortalecer a narrativa do governo estadual, no campo da inovação, como força motriz para o desenvolvimento das políticas públicas de fomento aos empreendimentos tecnológicos. “Não há dúvida de que a construção de uma política pública com os atores do ecossistema de inovação da Bahia será um marco para toda a sociedade baiana”, destaca.

Startup Bahia

O programa de empreendedorismo e inovação ‘Startup Bahia’ é uma nova política pública do Governo do Estado que tem a proposta de integrar as ações das diversas secretarias e órgãos envolvidos com esta temática, de forma a garantir efetividade na gestão dos recursos e potencializar e fortalecer o ecossistema baiano de inovação tecnológica. Além da Secti e da Companhia de Processamento de Dados do Estado da Bahia (Prodeb), a nova agenda integra as Secretarias da Educação (SEC), do Planejamento (Seplan), de Comunicação Social (Secom), do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (Setre), Casa Civil, da Administração (Saeb), de Desenvolvimento Econômico (SDE) e de Cultura (Secult).

Guia de Serviços Áity

Em comemoração aos cinco anos de criação do Tecnocentro Bautista Vidal, a Secti lança oficialmente, durante a oficina, a edição especial de aniversário do Guia de Serviços das Startups do Parque Tecnológico da Bahia. O Guia, elaborado pela Assessoria de Comunicação da Secti, tem como objetivo dar visibilidade aos produtos e serviços desenvolvidos com o apoio da Áity Incubadora de Empresas. Nestes cinco anos, o Parque Tecnológico da Bahia se estabeleceu como o centro de convergência dos atores que compõem o sistema estadual de CT&I, congregando os principais agentes dinamizadores voltados à geração de ideias e soluções criativas. O material também está disponível para distribuição virtual, através do site institucional (secti.ba.gov.br) ou no Issuu (issuu.com/sectibahia)

All Saints Bay: Salvador ganha Ecossistema de Startups, empreendedorismo e inovação

Uma comunidade com foco em desenvolver ecossistema inovador e fomentar o empreendedorismo em Salvador a partir da colaboração. Essa será a principal missão da All Saints Bay (Baía de todos os Santos), lançada oficialmente na noite de terça-feira (12), na capital baiana, após um processo democrático de escolha da identidade, durante o mês de novembro e início de dezembro.

O evento contou com a participação de empreendedores, de entidades como Sebrae, SENAI/CIMATEC, da Universidade representada pelo LABPROJ da UFBA e pela prefeitura de Salvador, por meio da Diretoria de Inovação. Além de players de outras partes do Brasil que enviaram mensagem saudando o All Saints Bay, como Edson Mackeenzy que ganhou prêmio de melhor mentor do Ano no Startup Awards, Pedro Menezes um dos fundadores do Órbi e empreendedor da comunidade San Pedro Valley, de Belo Horizonte, e a equipe da CUBO Itaú de São Paulo.

O movimento que cunhou na All Saints Bay se deu no início deste ano, através da Associação Baiana de Startups. Segundo o presidente da Abas, Eduardo Lobo, a criação da identidade foi um desejo coletivo. “Demos um passo importante que foi a consolidação da identidade do ecossistema, o que já era um anseio de toda a comunidade de empreendedorismo e Startups”, comemorou.

Atualmente a comunidade de Salvador conta com a participação de cerca de 80 Startups. Eduardo destaca que o próximo passo, após a criação da identidade, é aumentar ainda mais esse fomento. “Vamos buscar mais parcerias estratégicas com outros atores e agentes de outros ecossistemas, para que possamos apoiar cada vez mais Startups e empreendedores. A ideia é criar aqui em Salvador um grande polo de desenvolvimento em inovação, empreendedorismo e Startups. Uma força motriz do crescimento econômico da nossa capital e de todo o Estado”, explicou.

Um dos maiores desafios da All Saints Bay é a colaboração. José Soares, gestor do projeto de Startup Bahia do Sebrae, explica que o nome é muito importante, mas se os empreendedores não se sentirem representados e não colaborarem em prol do ecossistema, de nada vai adiantar. “Um dos pilares mais significativos do ecossistema de Startups é promover conexões. Criar uma identidade é um ponta pé inicial para aglutinar mais pessoas que se identificam com o ambiente voltado para o negócio. Porém, o mais importante é esperar que em 2018 a gente consiga estar mais aglutinado e colaborando dentro do ecossistema”.

Mais do que apenas trocar e espalhar a ideia, os participantes querem principalmente o apoio de empresas, órgãos e instituições de fomento. O Diretor de Inovação de Salvador, Ivan Neves, afirma que a prefeitura está de olho no ecossistema. “Estamos aos poucos descobrindo esse ambiente e de que forma a prefeitura pode apoiar os empreendedores. É muito importante a união de todos os atores para o sucesso dessa comunidade”.

Quem sabe bem a importância de se conectar é o empreendedor Marcus Penalber, CEO da Startup Sivirinos. Ele lembra que desde que entrou na Abas, por exemplo, o seu negócio deu um salto. “Minha Startup cresceu bastante, comecei a ter contatos com outras pessoas que eu nem sabia que existiam e que agregaram muito. Fiz parcerias, contatos e consegui até investidores. As pessoas precisam ter em mente que juntos somos mais fortes. E o All Saints Bay chega com esse propósito”.

Paulo Pietrobon, Coordenador do Laboratório de Projetos Institucionais (LABPROJ) da UFBA, aponta que a identidade é apenas um empurrão para uma trajetória muito maior que estar por vir. “O caminho do ecossistema no sentido de amadurecimento de consolidação, de cumprimento da função e da missão dele, que na verdade é gerar dinamismo de empreendedorismo e inovação, é um caminho ainda por fazer”. Ele lembra ainda o papal da Associação dentro deste processo. “A Abas tem uma responsabilidade muito grande de liderar, articular e convergir todas as instituições, estudantes, professores, pesquisadores. Ou seja, todos preocupados em promover o desenvolvimento através de empreendedorismo e inovação”, finalizou.

Para que o novo ecossistema alcance o nível de comunidades já consolidadas como a San Pedro Valey de Belo Horizonte, Porto Digital de Recife, Ilha do Silício de Floripa, e 011 de São Paulo, é essencial a participação de todos envolvidos. “O ecossistema deve ser extremamente colaborativo e aberto, qualquer pessoa que queira ajudar e colaborar pode e deve participar do ecossistema. Ele está aí para abraçar, ajudar, apoiar inserir e integrar qualquer pessoa que esteja disposta a colaborar, contribuir, ajudar e ser ajudado”, reiterou o presidente da Abas.

O PROCESSO

Mercado Agri vence hackathon como melhor solução para comércio da Agricultura Familiar

IMG_9273

 

Equipe composta por estudantes da Uneb idealizou a proposta vencedora do Hackathon Desafios Bahia: Agricultura Familiar

Após 30 horas de programação, a proposta ‘Mercado Agri’, da equipe composta por estudantes da Universidade Estadual da Bahia (Uneb), foi escolhida a melhor solução tecnológica e digital para a comercialização dos produtos provenientes da Agricultura Familiar. A edição inédita do Hackathon Desafios Bahia selecionou uma plataforma mobile de intermediação de produtos entre cooperativas e grandes varejistas.

A maratona de programação aconteceu desde às 14h desta sexta-feira (1), até às 20h deste sábado (2), com a premiação dos três melhores projetos, na VIII Feira Baiana de Agricultura Familiar, Economia Solidária e Reforma Agrária, no Parque de Exposições de Salvador.

As secretarias da Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti) e de Desenvolvimento Rural (SDR), em conjunto com a comissão julgadora, ainda selecionaram a plataforma mobile ‘Da Terra’, proposta pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb – Jequié), como segunda colocada, e a ‘Safcom’, da Universidade Federal da Bahia (Ufba), classificada em terceiro lugar.

Para Ícaro Leite, estudante da Uneb e integrante da equipe vencedora do Hackathon Desafios Bahia: Trabalho, realizado durante a Campus Party Bahia (CPBA), o tema proposto foi muito desafiador. “É um tema que a gente não vivencia no nosso cotidiano, mas conseguimos absorver as informações necessárias através das mentorias e conversas com agricultores presentes aqui na Febafes”, informou o vencedor da segunda Hackhaton, lembrando que o desafio proposto também é uma causa nobre, pois tem o poder de viabilizar e potencializar a comercialização da produção dos agricultores familiares para toda a população.

Os projetos foram julgados através de critérios de interesse público, impacto social, viabilidade técnica, de negócio, e grau de inovação da ideia. A proposta é que, depois da maratona de tecnologia e inovação, as equipes vencedoras deem continuidade aos projetos para atenderem, de fato, às necessidades de comercialização dos produtos da agricultura familiar.

“Os projetos vencedores vão ajudar a desenvolver, com mais direcionamento, eficiência e eficácia, soluções de venda e no escoamento da produção de agricultores familiares em nosso estado. Buscamos fortalecer e potencializar, através do desenvolvimento de novas tecnologias, o entrosamento entre as diversas áreas do desenvolvimento rural”, afirmou Leonardo Ramacciotti, diretor da Secti, que representou o secretário Vivaldo Mendonça.

A União das Cooperativas da Agricultura Familiar e Economia Solidário do Estado da Bahia (Unicafes) viabilizou a premiação das equipes em R$5, R$3 e R$2 mil reais para o primeiro, segundo e terceiro colocados, respectivamente. Esta edição do Hackathon contou ainda com a correalização da startup baiana Startonapp e apoio da Pastar e Rede+.

Desafios e expectativas

A expectativa entre os participantes foi grande. Para Ed Costa, componente da equipe formada por estudantes da Universidade Salvador (Unifacs), o mais difícil foi estreitar o problema que é muito complexo, filtrar o mais importante para este momento. “A nossa proposta pode ter vários desdobramentos que, posteriormente, vão poder abraçar completamente o problema da comercialização dos produtos provenientes da agricultura familiar”, completou, ressaltando que vai aperfeiçoar a plataforma e não vai desistir do projeto.

A equipe da Uesb de Jequié, participante da primeira maratona tecnológica, sofreu mesmo com o esgotamento físico e mental, agravado pelo desgaste da viagem até Salvador. Já a equipe do Senai Cimatec foi eliminada na noite da sexta-feira (01), diante da etapa prevista de eliminação.

Como iremos nos chamar? vote até 11/12.

Fala pessoal!!

Chegamos a última etapa do processo de escolha da identidade da nossa comunidade de empreendedorismo e inovação ???????? Contamos com a sua colaboração para votar em um dos 05 nomes finalistas acessando o link abaixo:

https://goo.gl/forms/qH6s87VReB1kZaJj2

No dia 12/12 será anunciado o nome mais votado que dará a identidade para o Ecossistema.????????????????

Google abre a 3 turma do programa de residencia no Google Campus (acaba 8 de dezembro!)

 

Faça parte da família de startups residentes do Campus!

O Campus São Paulo é um espaço do Google para empreendedores se conectarem, trabalharem e criarem empresas que vão mudar o Brasil e o mundo. Somos uma comunidade que apoia os empreendedores e os ajuda a desenvolverem suas startups, através de espaço, conteúdo e programas, incluindo o nosso Programa de Residência.

No Programa de Residência, as startups selecionadas têm acesso ao melhor dos recursos do Google, como acesso prioritário à nossa rede de experts, oportunidades para participar em programas globais de imersão, eventos e conteúdos exclusivos, além de seis meses de espaço de trabalho nos andares de coworking para residentes do Campus São Paulo. Tudo isso sem custo – o que pedimos em troca é que se envolvam e compartilhem seu conhecimento com o ecossistema de startups, contribuindo para fortalecer a cultura empreendedora do país.

Olha quem já passou por lá Cuponeria, EasyCredito, IDWall, SciCrop, Trakto entre outras.

CRITÉRIOS

Estamos procurando startups que:

  • Estejam solucionando um problema relevante, com alto potencial de escala e impacto;
  • Desenvolvam tecnologias únicas ou apresentem modelos de negócio disruptivos;
  • Sejam compostas por um time diverso com no mínimo 3 e no máximo 20 pessoas (há flexibilidade em caso de times remotos);
  • Apresentem tração comprovada e estejam em estágio de crescimento;
  • Estejam baseadas no Brasil e demais países da América Latina;
  • Contribuam e se engajem no fortalecimento da comunidade do Campus e do ecossistema empreendedor.

Temos especial interesse em soluções que utilizem machine learning, inteligência artificial, soluções mobile, tecnologias para mercados emergentes, cidades inteligentes e cybersecurity.

INSCRIÇÕES

As inscrições serão avaliadas com base nos critérios de seleção mencionados abaixo pelo time do Campus São Paulo, além de um comitê formado por experts, empreendedores experientes e investidores. Inscreva-se aqui.

https://gfepublic.secure.force.com/events?id=a16f1000002WnkT&lang=PT

 

Secti realiza hackathon sobre agricultura familiar na Fenagro

 

 

As secretarias da Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti) e de Desenvolvimento Rural (SDR) levam para a 30ª Feira Internacional da Agropecuária (Fenagro) a edição inédita do ‘Hackathon Desafios Bahia’, no Parque de Exposições de Salvador. Entre os dias 1º e 2 de dezembro, na programação da VIII Feira Baiana de Agricultura Familiar, a maratona de tecnologia e inovação vai reunir estudantes e jovens de toda a Bahia com um único objetivo: criar soluções inovadoras por meio de tecnologias digitais voltadas para a agricultura familiar.

Os participantes terão 30 horas para solucionar uma problemática, ajudando na qualificação de políticas públicas executadas pelo Governo do Estado, por meio de uma parceria entre as pastas. O secretário da Secti, Vivaldo Mendonça, espera que as soluções tecnológicas propostas pelas duas agendas atendam uma demanda real da sociedade.

“A Secti está interligada com todas as áreas de atuação, e os resultados sinérgicos dessa integração com a agricultura familiar atendem uma ação prioritária de Governo do Estado, que sempre busca soluções sustentáveis e renováveis em beneficio da sociedade”, afirma Vivaldo.

Os times já foram formados com estudantes de universidades de pesquisa referências no estado: Universidade do Estado da Bahia (Uneb), Universidade Federal da Bahia (Ufba), Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia (Ifba), Universidade Salvador (Unifacs), Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb) e Senai Cimatec.

Segundo o coordenador estadual do Programa Hackathon Desafios Bahia, Sócrates Santana, o governo baiano está conectado com os novos desafios da sociedade e a realização das maratonas de programação faz parte da estratégia do Estado de interagir e reunir áreas do conhecimento e da economia em busca de soluções alternativas para diversos problemas.

O ‘Hackathon Desafios Bahia: Agricultura Familiar’ é uma iniciativa da Secti, tendo como correalizadoras a SDR e a startup baiana Startonapp, encerrando um ciclo de quatro edições em 2017 direcionadas para as áreas de políticas para as mulheres, trabalho, mobilidade e, esta última, a agricultura familiar.

FINEP tem até 1 milhão para investir na sua Startup

 

O Programa Finep Startup tem por objetivo apoiar a inovação em empresas nascentes intensivas em conhecimento através do aporte de recursos financeiros para execução de seus planos de crescimento.

O foco do Programa é cobrir o gap de apoio e financiamento existente entre o aporte feito por programas de aceleração, investidores-anjo e ferramentas de financiamento coletivo (crowdfunding) e o aporte feito por Fundos de Seed Money e Venture Capital.

Público-alvo

Empresas de base tecnológica que atendam às seguintes condições:

  •  Empresa inovadora cujo produto, processo ou serviço, objeto principal da captação de recursos, esteja no mínimo na fase de protótipo ou testes, preferencialmente já tendo sido realizadas as primeiras vendas;
  •  Apresentem, no ano do lançamento do Edital, receita bruta de até R$ 3,6 milhões;
  •  Tenham sido registradas na Junta Comercial no mínimo seis meses antes do lançamento do Edital; e
  •  Sejam atuantes nas áreas temáticas previstas no Edital.

Inscreva-se: http://finep.gov.br/finepstartup

 

StartOut Brasil – Internacionalize sua Startup

 

O StartOut Brasil é um programa de apoio à inserção de startups brasileiras nos mais promissores ecossistemas de inovação do mundo.

Até 15 startups com potencial de internacionalização serão selecionadas, por ciclo de imersão, e terão acesso, gratuitamente, às seguintes atividades:

  • Consultoria especializada em internacionalização, mentoria com especialistas no mercado de destino e treinamento de pitch;
  • Participação em missão com agenda voltada à prospecção de clientes e investidores e à conexão a ambientes de inovação, com visitas a aceleradoras, incubadoras e empresas locais; seminário de oportunidades; rodada de reuniões com prestadores de serviços; encontros organizados por matchmaker e demo day para investidores;
  • Apoio pós-missão para definição da sua estratégia de internacionalização e/ou softlanding no mercado-alvo.

Inscreva-se: https://www.startoutbrasil.com.br/sobre/